14/04/2018

Nova entrevista do Bill para "White Lies Magazine"



Bill, como a cidade dos anjos está tratando você?
Eu amo Los Angeles. Eu amo por causa da liberdade. Eu posso viver uma vida aqui que eu pensei que não existia mais para mim. Eu posso fazer o que eu quiser e ninguém liga a mínima. Por isso eu acho que pode ser solitário para outras pessoas. Não há muita paixão e a cidade pode ser fria e competitiva. Mas eu não ligo para isso porque eu nunca vim aqui por sucesso. Eu apenas queria encontrar um lugar para viver a vida e não poderia ser mais perfeito. Mas eu preciso viajar também. Ficar em um lugar por muito tempo me deixa ansioso. Viajar é muito importante para o meu espírito e inspiração.

Quem é a pessoa mais interessante que você já encontrou em Los Angeles?
Britney Spears. Eu encontrei ela brevemente depois do surto dela, na festa da mansão da playboy. Foi estranhamente legal. Ela é fascinante para mim. Eu sempre fui um grande fã.

Você já encontrou Arnie?
Não.

Qual é o seu atual estado de espírito?
Eu tive o melhor começo de ano que você possivelmente pode ter. Eu celebrei o ano novo em Carreyes, México, que é um lugar mágico. Eu passei o tempo com meus melhores amigos e encontrei algumas pessoas especiais. Tudo apenas cai em seu lugar, o que é muito incomum para mim mas eu aceito isso. Eu estou em um lugar muito bom agora - o futuro é agora e está escancarado. Isso acertou em cheio. Eu tenho milhões de projetos e eu estou super motivado e ansioso nesse ano. As vezes eu sinto que minha cabeça vai explodir por causa de todas as minhas idéias. Os dias são curtos, nunca o suficiente mas é uma coisa boa. Eu gosto de estar ocupado. Se não, eu começo a fazer coisas que são ruins para mim e perder o foco. Eu funciono muito bem sob pressão.

Por que você decidiu fazer música de novo?
Eu comecei pela frustração. Meu irmão Tom e eu estávamos bem desapontados pela equipe de produção com quem nós estávamos trabalhando. As coisas não funcionavam mais. Então nós decidimos fazer tudo sozinhos e começamos a fazer toda a produção por nossa conta. Nós criamos os conceitos para os nossos shows. Foi como uma grande explosão criativa.

Antes disso, como você se expressou durante a sua pausa da música?
Eu estava fazendo apenas coisas comuns com minha família, aproveitando as coisas simples e doces da vida, como ter um jantar em casa e ir ao cinema. Coisas que eu não poderia fazer na Europa. Eu apenas queria ser normal e ter uma vida social. Eu me tornei em um louco. Eu estava tão sozinho e vigiado o tempo todo. Levou 1 ano antes de lentamente começar a escrever música de novo e no fim, demorou 4 anos antes de me colocar novamente nos holofotes.

Por todas as mudanças que você tem passado, qual tem sido a sua âncora?
Definitivamente a banda. Nós crescemos juntos e nós somos como irmãos um para o outro. Tom e eu somos inseparáveis e é o fato de sermos irmãos gêmeos que nós dá essa super conexão. Nós sempre andamos por aí juntos com nossas bagagens e nossos dois cães. Como ciganos.

Onde você acredita que tenha errado na sua carreira?
Honestamente, eu nunca tive a sensação de ter falhado em algum lugar na carreira. Eu fiz algumas escolhas erradas mas eu conquistei muito mais do que eu poderia sonhar. Eu estou vivendo a vida que eu sempre quis e me imaginei. 

E pessoalmente?
Eu falhei em ter um relacionamento que funcione. Eu costumo escolher pessoas erradas e levar parceiros que são ruins para mim. Eu não sei o porquê. eu sempre acreditei que eu era tão romântico e sempre queria o tipo de amor impossível dos filmes. Agora que eu estou ficando velho eu penso que talvez eu goste de me torturar. Talvez eu não seja feito para ser feliz. Eu sou um artista muito melhor quando eu não estou bem. Isso o meu irmão sempre me diz e eu acho que ele está certo. Talvez esse seja o meu destino ainda que isso soe clichê.

Quais são as consequências?
As consequências são boas músicas e me sentir muito sozinho.

Cometer o mesmo erro uma ou duas vezes?
Uma. Eu sinto que eu constantemente evoluo e cresço. Eu tive o meu coração partido uma vez em um par de anos atrás. Foi a pior parte da minha vida. Eu senti que eu não iria sobreviver a isso. Eu sinto que isso não aconteceria de novo. Eu não deixaria alguém fazer isso comigo de novo. Felizmente.

Você se sente dirigido a se reinventar?
Sim, mas é mais inconscientemente. Eu nem sequer noto o quanto eu mudo minha aparência ou looks. Geralmente as pessoas que eu encontro chamam minha atenção para isso e eu me dou conta de que mudei meu estilo de novo. Eu acho que isso aconteceu de forma natural para mim quando fiz isso. É uma parte de mim. Talvez seja por isso que eu me inspiro facilmente. Eu nunca tive medo de tentar coisas novas, de fato eu amo isso. Eu acho que reinvenção é qualidade de vida, o que é muito importante para nossa música.
Eu constantemente penso sobre como nós podemos nos desenvolver mais. Eu estou sempre pensando em novas mudanças para o futuro, o que é difícil de aproveitar o presente. É o maior desafio para mim. Estar no agora.


O seu jeito de lidar com sua criatividade mudou com o tempo?
Eu tenho a sensação de que eu posso lidar melhor com isso agora. Eu penso, que com os anos eu realmente me conheci. Quando nossa carreira começou nós éramos jovens e eu apenas reagi as coisas que estavam acontecendo em nossa volta. Não tinha tempo para refletir em tudo. Foi tudo perdido e frustado mas não sabia o por quê. Hoje eu sei como encontrar o balanço exato, mas eu tive que tirar algum tempo para lidar com isso.

As redes sociais influenciam sua criatividade? você sente um impulso em se expressar diferentemente?
Eu amo a troca constante com pessoas. você pode procurar pelo seu público a qualquer momento. Tudo está indo tão rápido e você pode pegar muita atenção das pessoas em pouco tempo. Por isso você tem que considerar cuidadosamente o que você coloca lá porque talvez tenha um grande impacto. O que deixa isso estressante é a constante pressão em manter sua presença. Por isso meu irmão Tom não usa o Instagram. Isso deixa ele louco. Para mim é mais divertido.

Como o seu meio ambiente influencia sua criatividade?
Para mim Berlin é um lugar muito inspirador. Qualquer um dos dois lugares que eu vivi a maior parte da minha vida são dois lugares totalmente não inspiradores. Em Los Angeles todo mundo usa roupas de praia. É apenas sobre estar confortável. Não é uma cidade fashion. Todos os cliches são verdades e as cenas criativas e autênticas não existem realmente. Mas talvez isso me inspire agora, quem sabe? Eu ainda amo LA. É colorido e diferente de outros lugares no mundo. É loucamente grande também. Magdeburg é apenas um lugar terrível em geral. Eu deixei a cidade quando eu tinha 15 anos e nunca realmente voltei. É engraçado porque essas duas cidades são coloridas agora em grandes letras em negrito na minha coleção, mas foram os lugares menos inspiradores para mim no sentido fashion. Talvez elas fossem inspiradoras, apenas em um jeito diferente e maçante.

O que faz a coleção "Magdeburg/Los Angeles" especial para você, de um jeito especial?
Nós queríamos criar algo simples que todos nós quatro pudéssemos usar.
Nós somos tão diferentes em termos de aparência física, que foi um desafio real em desenhar algo que nós todos pudéssemos sentir confortáveis. É a inspiração das ruas de Berlin. Nosso álbum "Dream Machine" inteiro é muito inspirado em Berlin. Nós apenas redescobrimos a cidade e nos demos conta o quanto maravilhosa é. Depois de não ter estado em Berlin por anos e não estar preso em uma rotina mais, nós experimentamos a cidade de um jeito novo, que nos fez dedicar o álbum a isso.

A moda é um jeito de se expressar também?
Sim, definitivamente. A moda sempre foi um grande papel na minha vida. Como criança eu costumava desenhar rascunhos e então pedia para minha mãe fazê-los para mim. Eu não tinha nenhum dinheiro para moda, mas eu sempre quis ter roupas únicas e chiques, então foi o único jeito para mim em ter o que eu queria.

Você considera em se estabilizar na indústria da moda?
Sim, é definitivamente um sonho meu. para lançar minha própria marca. Eu tenho tantas idéias que eu preciso expressar e libertar. Eu tenho a impressão que é a única coisa que eu sou realmente bom além da música. A moda vem naturalmente para mim, é um instinto.

Você acha que criar moda é um jeito diferente de se expressar do que produzir música?
A moda tem muito mais técnica do que a música. Na música não há algo que você não possa fazer, enquanto na moda você precisa considerar os limites de design. Hoje em dia todo mundo pode fazer música. Se tornou em algo muito fácil fazer com todos os programas e aplicativos. Todos os idiotas tem um estúdio na casa deles. Isso mudou muito com os anos. A moda é bem mais difícil. Leva muito tempo para ter aquela jaqueta pronta e produzir, e pendurar naquele cabide na sua loja favorita. Tem muito para eu aprender.

Quem ou o que te inspira no seu gosto na moda?
A maioria dos filmes. "Labirinto" foi uma grande parte da minha infância. Eu amo as roupas, música e a dança daquele filme e o estilo de cabelo do Bowie no papel de Goblin é apenas maravilhoso.  De fato Bowie talvez seja minha maior inspiração. Eu levo muita inspiração de filmes atualmente. Também de viajar. Apenas assistindo pessoas e cultura.

Você sabe que David Bowie pedia por cigarros em cada idioma?
Sério? Bem isso é definitivamente uma coisa boa de saber. Outra coisa que eu admiro nele.

Qual a última música do Bowie que você ouviu?
"Magid Dance". Essa música vai sempre me fazer feliz.

Uma pergunta que ninguém nunca te perguntou?
"Você acha que você precisa de terapia"?




















Scans por TB Tokio Hotel
Tradução por Pensamentos TH

HOME
FÃ CLUBE
EQUIPE
CONTATO

FÃ PAGE
INSTAGRAM
TWITTER
YOUTUBE

GOODIES
ENTREVISTAS
DSDS
PARCEIROS


Layout e programação DIAMONDS DESIGN || Direitos reservados 2012 © 2016